Artigos Nacionais - Resumo

Ligadura da veia porta associada à bipartição do fígado para hepatectomia em dois estágios (ALPPS): Experiência brasileira

Torres OJ, Fernandes ED, Oliveira CV, Lima CX, Waechter FL, Moraes-Junior JM, Linhares MM, Pinto RD, Herman P, Machado MA.

Arq Bras Cir Dig 2013;26(1):40-43

 

 

 

PDF (205Kb)

Racional – Insuficiência hepática pós-operatória devido à remanescente
hepático pequeno tem sido complicação temida em pacientes que são submetidos à
ressecção hepática extensa. A ligadura da veia porta associada à bipartição do fígado
para hepatectomia em dois estágios (ALPPS) foi desenvolvida recentemente com a
finalidade de induzir rápida e significante regeneração do fígado para pacientes
em que o tumor é previamente considerado irressecável. Objetivo – Apresentar
a experiência brasileira com o ALPPS. Método – Foram analisados 39 pacientes
submetidos ao procedimento ALPPS em nove hospitais. Ele foi realizado em duas
etapas. A primeira operação consistiu em ligadura do ramo direito da veia porta e
bipartição hepática. Na segunda, os ramos direito da artéria hepática, via biliar e
veia hepática foram ligados e o lobo hepático direito estendido foi removido. Foram
22 pacientes do sexo masculino (56,4%) e 17 do feminino (43,6%). A média de idade
foi 57,3 anos (variando de 20 a 83 anos). Resultados – A indicação mais comum
foi metástase hepática em 32 pacientes (82,0%), seguida por colangiocarcinoma
em três pacientes (7,7%). Dois morreram neste intervalo e não foram submetidos
à segunda operação. O intervalo médio da primeira para a segunda operação
foi de 14,1 dias (variando de 5-30 dias). O volume do segmento lateral esquerdo
apresentou aumento de 83% (variando de 47-211,9%). Morbidade significante foi
observada em 23 pacientes (59,0%). A mortalidade foi de 12,8% (cinco pacientes).
Conclusão – O procedimento ALPPS permite ressecção hepática em pacientes
com lesões consideradas previamente irressecáveis por induzir rápida hipertrofia
do fígado evitando a insuficiência hepática na maioria dos pacientes. Porém ainda
apresenta elevada morbidade e mortalidade.